Autor: Luiz Geraldo Mazza

Há 89 anos, em 10 de fevereiro de 1931, na Rua Visconde de Nacar, Centro de Paranaguá, nascia Luiz Geraldo Mazza. O menino parnanguara logo cedo, aos 9 anos, deixou a cidade portuária para dar inicio aos estudos na capital paranaense. É o segundo mais velho dos nove filhos de Arnaldo Mazza Júnior e Nair Veiga Mazza. Depois do Ginásio, Mazza ingressou aos 19 anos, em 1950, na Faculdade de Direito do Paraná, hoje Universidade Federal do Paraná – mas nunca chegou a atuar na advocacia, pois encontrou o amor pelo jornalismo desde cedo. “Eu sou o homem que tentou o direito, atuando como procurador de Estado, mas que acabou no jornalismo”, conta o mestre. Ao longo de sua vida acadêmica, Mazza sempre conciliou o direito com o jornalismo. Iniciou a função em 1948 como colaborador no Jornal Diário do Comércio de Paranaguá, com participações em colunas sobre as belezas da cidade de Paranaguá, até oficialmente e profissionalmente entrar para equipe do Jornal O Estado do Paraná, em 1951, e dar inicio ao exercício de longos e incríveis 69 anos de profissão, trabalhando em todos os jornais de Curitiba e praticamente em todos os meios de comunicação do estado. Com contribuição nacional, Lulu – como é conhecido e chamado por familiares e amigos mais íntimos –, colaborou na Folha de São Paulo e Jornal de Brasília. No Paraná, atuou em jornais como O Estado do Paraná, Correio de Notícias, Diário do Paraná, Gazeta do Povo, Indústria & Comércio, dentre outros, além da Folha de Londrina, onde escreve até hoje, firme e forte, mantendo o estilo de jornalismo polêmico e opinativo que é cada vez mais raro atualmente. São quase 40 anos entre idas e vindas à Folha, veículo com o qual mantém um vínculo muito grande com seus leitores. Mazza mantém uma opinião impactante, influente, provocadora e continua sempre impressionando seus leitores com sua lucidez e articulação de analisar situações na política e na economia nacional e estadual. Como dizia o saudoso jornalista Carlos Alberto Nego Pessoa: “o Mazza é o nosso patrimônio público tombado, é o cara da ágora, ele é o homem do agora”. E é como o próprio Mazza se refere a ele e ao jornalismo: “estamos vivos ainda”. Na época do regime militar, sofreu junto aos milhares de jornalistas e ficou afastado das suas funções, sem poder realizar o exercício da profissão, por quase 10 anos, apenas exercendo a função de procurador, no serviço público. Luiz Geraldo Mazza atuou também, em um breve período, junto do Sindicato dos Jornalistas. Foi vice-presidente por um mandato, com o jornalista Desidério Peron. Em 1963, junto com Edésio Passos, mobilizou a emblemática e única greve dos jornalistas, paralisando a distribuição de todos os jornais de Curitiba, por três dias, na luta pelo reajuste salarial de 75%.

Pacificação possível

Não se trata da mediação da turma do ´´deixa disso´´, mas de uma elaborada e muito bem construída forma de pacificação no atrito entre militares e o ministro Gilmar Mendes através da Procuradoria Geral da República e do seu comandante Augusto Aras. O objetivo, apesar da delicadeza da situação, é unir forças para que se…

Por Luiz Geraldo Mazza 17 de julho de 2020 Off

Aviso antecipado

O uso das mídias sociais é inseparável dos nossos dias. Assim quando há um movimento pela derrubada do veto de Bolsonaro à desoneração da folha os governistas adiantam intenções pelas redes sociais informando por exemplo que se o veto cair (o presidente Rodrigo Maia está na parada) o Executivo avalia recorrer ao STF. Verdadeiro ou…

Por Luiz Geraldo Mazza 15 de julho de 2020 Off

Tempestades verbais

Estamos vivendo no campo institucional algo maior do que o ciclone bomba com as palavras como se deu com a declaração do ministro Gilmar Mendes sobre a ação dos militares na pasta da Saúde atribuindo-lhes uma cota de responsabilidade que tem nas altas e incontroláveis mortes e casuística da pandemia e que na realidade devem…

Por Luiz Geraldo Mazza 13 de julho de 2020 Off

À espera do milagre

Desde o começo do governo Bolsonaro convencionou-se que viria do Ministério da Economia, tantos os seus alardeados talentos, a virada espetacular da economia e com ela a vitória das forças liberais, pela primeira vez, na política brasileira. Passou o tempo, os murmúrios de Paulo Guedes ganhavam tempo, moratória que se concede aos gênios. Agora, em…

Por Luiz Geraldo Mazza 6 de julho de 2020 Off

Veto às fake news

No seu habitual encontro com seguidores, Jair Bolsonaro adiantou que vai vetar o projeto das fake news. Mas o processo comandado pelo STF sobre o tema foi prorrogado por mais seis   meses. Já o processo legislativo terá, segundo Rodrigo Maia, emenda da Câmara Federal o que obrigará a ida novamente ao Senado. Não se pode…

Por Luiz Geraldo Mazza 2 de julho de 2020 Off

Delação negociada

Fabrício Queiroz iniciou negociações de delação premiada com o Ministério Público. A euforia do dia anterior quando Flavio Bolsonaro conseguiu uma vitória na justiça do Rio ao transferir o seu caso, o das ´´rachadinhas´´, da primeira instância para o segundo grau foi fartamente descompensada com essa informação. A semana não foi boa para o presidente…

Por Luiz Geraldo Mazza 27 de junho de 2020 Off

A mancha se alastra

Dos 4,2 milhões de brasileiros que apresentavam sintomas da Covid-19 em maio, 70% eram de cor preta ou parda. Esse segmento abrange 54,8% da representação demográfica, o que afinal revela como o peso dessa condição é aumentado na pandemia. Outro tipo de flagelado social, o morador de rua, também ganha expressão estatística, com 28 deles…

Por Luiz Geraldo Mazza 26 de junho de 2020 Off

Eleição à vista

Curitiba poderá ter tantos candidatos quanto os que disputaram a sua primeira eleição em 1954. Ney Braga levou com Walace Tadeu de Mello e Silva, pai do Requião, em segundo. Se os critérios de hoje prevalecessem teríamos segundo turno. Os dois do segundo turno da última eleição -Rafael Greca e Ney Leprevost- novamente se enfrentam…

Por Luiz Geraldo Mazza 25 de junho de 2020 Off

PF quer ouvir Bolsonaro

A delegada da Polícia Federal, que toca o processo Bolsonaro-Sergio Moro, quer ouvir o presidente e quem avalia a medida é o ministro Celso de Mello, do STF. Depois da prisão do Fabrício Queiroz esquentou o clima no Palácio Alvorada e a sucessão de acontecimentos como o do afastamento do advogado Frederick Wassef da causa…

Por Luiz Geraldo Mazza 24 de junho de 2020 Off

Pacificação difícil

Na posse do ministro das Comunicações e na apresentação do Plano Safra houve um esforço pela pacificação, mas o jogo está pesado: o sigilo bancário de 10 deputados e um senador aliados de Bolsonaro foram quebrados depois de ruidosos mandados de busca e apreensão num processo que apura ações antidemocráticas. A militante Sara Winter, do…

Por Luiz Geraldo Mazza 18 de junho de 2020 Off