Aviso antecipado

15 de julho de 2020 Off Por Luiz Geraldo Mazza
Compartilhe:

O uso das mídias sociais é inseparável dos nossos dias. Assim quando há um movimento pela derrubada do veto de Bolsonaro à desoneração da folha os governistas adiantam intenções pelas redes sociais informando por exemplo que se o veto cair (o presidente Rodrigo Maia está na parada) o Executivo avalia recorrer ao STF. Verdadeiro ou dissimulado, vale o recurso que já mostrou sua força na eleição.

Imaginação solta

Enquanto não se revela o milagre de Paulo Guedes no revigoramento do mercado pintam as portarias como a que liberou empresas para recontratar funcionários demitidos na pandemia sem configurar fraude trabalhista. Desde que haja adesão sindical tais empregados podem ter seus salários reduzidos. Não prevalece a regra que veta a rescisão acompanhada de readmissão em um prazo de 90 dias após o desligamento. Vale pelo período de calamidade pública que tem seu final em dezembro

Não cicatrizou

Até agora ( e isso por mais alguns dias) não cicatrizou a ferida provocada pela fala do ministro Gilmar Mendes sobre a presença de militares no ministério da Saúde. Notas trocadas acabam não compensando, posto que a manifestação do Ministro da Defesa seja também contundente com a anotação de que o jurista foi irresponsável e leviano. Consequência pode ser o afastamento do interino general Eduardo Pazuelo.

Armistício

O encontro do vice presidente Hamilton Mourão com empresários que reclamam por uma política ambiental bem definida teve continuidade ontem e o governo formalmente se comprometeu a combater as ilegalidades do desmate e incêndios. Apesar da ênfase do presidente do Conselho Amazônico, persiste um clima de desconfiança, mesmo com a pressão de investidores e empresários nacionais. Tanto que a demissão de Lúbia Vinhas, encarregada do monitoramento do Inpe, não foi metabolizada pelos ambientalistas, embora esteja em curso pelo ministro Marcos Pontes um enxugamento do Instituto com sete dependências a menos. Não há credibilidade em que o governo mude sua postura ambiental carente de rumos, bastando ver o baixíssimo nível de credibilidade do ministro do Meio Ambiente, aquele do passa boi, passa boiada.  

Medo

Para o pneumologista Carlos Carvalho, do InCor, o povo perdeu o medo da Covid-19 e deixou de seguir as regras. Só em São Paulo, segundo ele, ´´há várias epidemias´´de coronavírus no estado. Sua declaração é visível na forma como a população reage à qualquer afrouxamento o nas medidas de distanciamento como se a patologia tivesse terminado. Conflita a afirmação com pesquisa do Datafolha que mostra que 78% dos brasileiros afirmaram ter medo do novo coronavírus. Reações em massa à cada afrouxamento é marcada por abusos nos ajuntamentos de multidões e que acabam em contaminação massiva.       

Compartilhe: