Rompida a inércia

21 de maio de 2020 Off Por Luiz Geraldo Mazza
Compartilhe:

Significativa, para dizer o mínimo, a teleconferência entre o presidente, governadores e chefes do STF, Câmara e Senado. Urgente o repasse de recursos a estados e municípios e o exame da contrapartida necessária e difícil no veto ao reajuste de servidores. Como estava a situação não poderia permanecer e era indispensável que fosse superada. Protagonismo de alguns soa como normalíssimo como o de Rodrigo Maia tentando repetir agora o papel desempenhado na reforma da previdência.

Lixo e classes sociais

Nos anos sessenta, século passado, uma equipe do professor Léo da Rocha Lima fez um estudo sobre o lixo e sua configuração, conforme a classe social. Agora na pandemia a produção de resíduos nas casas e ruas teria sofrido queda de 12% ao mesmo tempo em que nas cidades vizinhas teria havido aumento de 6%. Ao tempo da pesquisa não tínhamos ainda o nível de organização dos catadores, figuras que ganharam um papel de destaque com o tempo e notadamente depois do ´´lixo que não é lixo´´, a separação dos resíduos, com Lerner. Nesses dias os catadores enfrentaram dificuldades como em Londrina com redução da demanda por parte dos compradores.

Unanimidade

Segundo o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, a única unanimidade do momento é o adiamento das eleições municipais, cujas convenções deveriam se dar entre 20 de julho e 5 de agosto. Já se admite, porém, que elas operem em ambientes virtuais. É mais fácil aflorar aí o virtual do que o virtuoso.

Quase regular

Desde ontem o legislativo estadual decidiu retomar as reuniões das comissões permanentes suspensas desde março em função da pandemia. A oposição reivindicava que isso limitava a perspectiva de debates dos projetos e impedia também pedidos de vistas. Foi aprovada também a volta das audiências públicas por videoconferência. 

Recordes sequenciais

O país registrou 291.579 casos de Covid-19 ontem com 19.951 em 24 horas, novo recorde. Alto o número de recuperados que chegou a 116.683. No Paraná até ontem 2.616 casos com 137 mortes.

Surpresa

Causa aguda surpresa a presença cada vez maior de militares no ministério da Saúde que teve um deles em festa com 17 pessoas no começo de abril, fato revelado nas redes sociais quando se exigia, como regra, o distanciamento.    

Auxílio

O ministério da Economia admite a prorrogação por dois meses do auxílio emergencial, mas reduzindo o valor de R$ 600 para R$ 200 que era, lá atrás, o indicador adequado pela equipe técnica. Argumenta-se que o endividamento público recomenda a redução.  

Enem

Valeu a pressão do Congresso e o governo adiou prova do Enem, acatando tese dos secretários de educação e de especialistas contra a vontade do ministro Weintraub. Adiamento por um ou dois meses levam as provas para dezembro ou janeiro.

Compartilhe: